Stranger-Things-Conheca-a-historia-de-Running-Up-That-Hill-a-musica-tema-de-Max-na-Temporada-4-Avance-Games
PUBLICIDADE

O poder de Stranger Things fez uma música lançada em 1985 voltar ao topo das paradas mundiais. Apresentada na Temporada 4, ‘Running Up That Hill‘, de Kate Bush, é o tema da personagem Max (Sadie Sink), tendo um papel importante e crescente ao longo dos episódios.

Após ser apresentada na série do Netflix, a canção teve um salto nos charts desde a última sexta (27). No ranking global do iTunes, por exemplo, a faixa chegou ao #1 lugar. Em sua época de lançamento, ‘Running Up That Hill‘ alcançou apenas a 30ª posição na Billboard. Confira a música em Stranger Things:

PUBLICIDADE

Hounds of love

Running Up That Hill é a faixa de abertura de um dos principais registros de Kate Bush, o disco Hounds Of Love. Este é o quinto trabalho de estúdio de Bush, lançado em setembro de 1985 após dois anos de composição experimental em um estúdio próprio, montado num galpão atrás da casa da família da cantora.

O disco apresenta uso de equipamentos eletrônicos e sintetizadores processo de composição músicas pop, aliado à piano e violão. na música eletrônica, alguém que ajudou a explorar a tecnologia de samplers e o uso de baterias eletrônicas.

Hounds Of Love também representa um pico comercial para Bush, após o sucesso moderado do disco anterior, The Daydreaming (1982). Com clipes bombando na MTV, a cantora consolidaria sua para além do Reino Unido.

A história de Running Up That Hill

Inicialmente chamada ”Running Up that Hill (A Deal with God)”, a música teve seu nome encurtado no ano seguinte, quando entrou na compilação The Whole Story. Assista ao video clipe original:

Poética a canção une sensualidade, romance e uma dose de misticismo ao retratar um acordo com deus para trocar de lugar com outra pessoa. A base de samples é potencializa atmosfera dramática. Além disso, a música pertence a fase onde Kate Bush estava bastante inspirada em O Morro dos Ventos Uivantes.

Versões de Kate Bush

Running Up That Hill voltou as paradas ganhando algumas releituras nos anos 2000. Em especial podemos citar a versão do Placebo no disco Covers, de 2003:

Mas nada se compara ao impacto de Stranger Things, com a reprodução da faixa original. No Spotify, ela virou o maior destaque da semana, chegando ao #13 global domingo (29). Liam Hess, editor convidado da edição americana da Vogue, descreveu o revival como “excitante”.

PUBLICIDADE

6 COMENTÁRIOS